FOI DEUS QUE FEZ O LIVRO


“... e abriram-se os livros. E abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. (Apocalipse 20.12 -- Versão Almeida Revista e Corrigida).

imagem
FOI DEUS QUE FEZ O LIVRO 

Por Jaime Pinsky∗

Qual é a principal diferença entre os homens e os demais animais que habitam o nosso planeta? Vantagens apregoadas durante muito tempo, como a capacidade de amar, a memória, a organização social, os laços familiares duradouros, não podem mais ser consideradas. Vídeo mostrando cenas “humanas” entre elefantes, golfinhos, leões, para não falar de cães e gatos, estão à disposição de todos e a distância entre os chamados Irracionais e nós parece-nos muito mais próxima do que parecia há algum tempo. Fica, contudo, a questão: o que fez com que o ser humano, desprovido de garras para caçar (como o leão), talento inato para construir (como o castor), agilidade para perseguir ou fugir (como o leopardo ou o veado), cassaco natural para se aquecer (como o urso), se tornasse o verdadeiro rei dos animais?


A resposta é simples: o homem é o único habitante deste planeta capaz de produzir, guardar e consumir cultura. Cada achado, cada descoberta, cada poema, cada música, cada teorema descoberto, deduzindo ou criado por qualquer homem em qualquer canto da Terra é devidamente anotado em linguagem acessível aos demais habitantes do planeta (ou boa parte deles), de modo a formar um conjunto fantástico de informações, de dados. A conexão que há entre os seres humanos de diferentes partes do mundo não existe entre nenhum outro tipo de animal, mesmo considerando que baleias e muitas espécies de aves atravessam continentes mais rapidamente e com mais autonomia do que qualquer um de nós.

Aí está a diferença: enquanto os outros animais são mais dotados, naturalmente (ou seja, pela natureza), nós somos muito mais capazes, socialmente (ou seja, por causa de nossa organização social). Em outras palavras, a superioridade do ser humano não é definida pela natureza, ou por qualquer Deus, mas pela história. Não nascemos assim, mas assim nos tornamos. Não somos o que somos por decisão divina, mas por causa do nosso esforço. Para ser preciso, porque sabemos criar cultura, armazenar cultura e utilizar cultura se e quando achamos conveniente.

Armazenar cultura pressupõe, preferencialmente, o domínio da escrita. Mais precisamente, das letras e dos números. Há poucas dúvidas de que tanto a escrita quanto os números surgiram em função da necessidade que antigos impérios do Médio Oriente tinham para controlar a produção (principalmente de grãos) e o pagamento de impostos. É possível que a escrita tenha surgido em mais de uma região de modo simultâneo, mas ainda não se pode afirmar se isso aconteceu ou se, por ser muito prática, a invenção se espalhou por difusão cultural. O fato é que, aos poucos, a escrita vai se aperfeiçoando até chegar à alfabética, bem próxima da que utilizamos até hoje.
Aos poucos, também, o local em que se escreve vai mudando. É em blocos de pedras, depois, em pedaços de barro, em plantas (como o papiro), em pele de animais (como o pergaminho), no papel. Neste, escrevia-se com penas naturais, depois, com simulacros de penas (os mais velhos talvez se lembrem das canetas tinteiros portáteis e fixos). As canetas esferográficas foram substituídas pelas máquinas de escrever, estás pelo computador, pelo smartphone.

Nesse processo todo, o homem criou o livro. O livro passou, com justiça, a ser o símbolo mais acabado da cultura humana. É nos livros que o cientista apresenta suas descobertas, que o historiador narra e explica o que aconteceu, que o escritor cria as narrativas que nos permitem viver aventuras sem correr riscos, que o poeta expressa a dor que não sente, mas nos sentimos. É nos livros quero urbanista apresenta a cidade que não existe, mas que deveria existir, que lembra a saga de nossa família, de nossa cidade, de nosso povo. É nos livros que discordamos de forma civilizada, que opomos ideia a ideia, sem guerrear, sem derramar sangue.

É nos livros que viajamos sem sair do lugar, que nos igualamos, jovens e velhos. Quando lemos, não temos pernas quebrada, não estamos presos no leito, não estamos impedidos de viajar, pois, com o livro, podemos viajar para qualquer lugar. Somos o bicho mais hábil e inteligente porque só nós conseguimos ler livros. Agora mais do que nunca, é importante ler livros. Com eles, e só com eles, atravessaremos as piores tempestades. Se a capacidade intelectual do homem foi, como querem alguns, um dom de Deus, sem dúvida foi Deus que criou o livro.

Jaime Pinsky – é Historiador, livre docente da Universidade de São Paulo (USP), professor titular da Universidade de Campinas (Unicamp) e editor brasileiro. É autor de mais de duas dezenas de livros: obras de referência acadêmica, livros para professores e títulos para o público em geral. Escreve regularmente no jornal Correio Braziliense. Foi colaborador dos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo e de várias outras publicações. Para acessar o Currículo formal completo e os Artigos publicados na imprensa, visite o site www.jaimepinsky.com.br E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. Artigo publicado no CB 021218 pág 11).
Postagem: http://www.unidosporbrasilia.com.br – 05/12/2018 – LGR.

Comentários

 logo-esoteric-mundi

Agenda

Abril 2019
D S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 1 2 3 4

Contador de Acessos

Brasília

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Facebook

Desenvolvimento, Hospedagem e Manutencao por IBS WEB .'.